quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Parodia Kafkaniana

     Num certo dialogo entre Rubens, um bebum de primeira das imediacoes de Pombal, e Joca, amigo de Jeca e Zeca, tambem bons bebedores, o primeiro, Rubens, bastante angustiado com sua existencia, fez o seguinte comentario - com muitas pausas, obviamente... "Amigo Joca", disse Rubens, "a vida aqui em Pombal ta muito complicada. Ha 35 anos atras a gente ia pro Riacho Doce ver as menininhas, andava à beça de cavalo, jogava marraia com os menino. O mundo, eu acho, ta ficando miúdo com o tempo. Eu mesmo, pra chegar aqui nessa rua, antigamente andava mais. Hoje em dia a gente passa na padaria de Nelsinho, depois joga um sinuquinha comendo um cuzcuzinho com carne de sol e tomando aquela caninha la no bar de Ricardo. Depois passa em banco, farmacia, jornaleiro. Da aquela parada em Luis e come um bode assado com a velha caninha. Ai se for em Luis, o nosso amigo Claudio fica com raiva se nao for na birosca dele. A gente vai, toma outra cana e chega aqui. O mundo parece que ta a cada dia ficando mais miúdo! Eu ando tao rapido, amigo Joca, que ali na nossa frente tem a igreja de Pombal..."
     "Voce so precisa mudar de direcao", disse Joca, e entraram no bar de Juarez.

3 comentários:

  1. Pequeno,

    Adorei este texto....parabéns!
    beijos,
    Camilinha

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkk... Tu viaja mesmo, né? ADOOOORRRRROOOOOO!!!

    ResponderExcluir